© 2019 Todos os direitos reservados a Jane Muniz 

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon
  • linkedin jane muniz sds
  • White YouTube Icon

Sobre a minha heterocromia ocular

December 8, 2015

  

Desde pequena aprendi que as nossas diferenças não são perdoadas pelos outros.

 

Seja pelo tom de pele ou pelo formato dos cachos, as pessoas te julgam e acham que já sabem tudo sobre a sua vida - assim, sem mais nem menos. No meu caso, além do tom de pele, meus olhos também sempre foram muito diferentes por conta da minha heterocromia.

 

O que é isso, Jane? Resumindo, nasci com um olho azul e outro castanho. Apesar de romantizarem muito essa condição e enxergarem como algo charmoso e bonito, ainda assim é algo diferente. Em alguns casos, a heterocromia ocular pode ser consequência de uma doença séria e até mesmo inflamação na íris, o que não é o meu caso. Apenas nasci assim, com uma membrana que desenvolveu a melanina ocular menos que deveria.

 

Durante toda a minha infância precisei ouvir piadinhas sobre os meus olhos e cheguei a sofrer bullying moderado por conta disso. Quando estava entrando na adolescência o que mais ouvia era "ih, ah lá, você perdeu uma das lentes", como se eu estivesse tentando ter olhos claros. Passei a esconder meu olho azul com o cabelo, usando uma franja improvisada.

 

Naquela época eu não fazia ideia que criaria o conceito de embelezamento do olhar e o Spa das Sobrancelhas. Não imaginava que criaria uma profissão voltada para isso e, muito menos, que um dia me orgulharia de ter um olhar tão marcante que consegue expressar de forma honesta a minha essência. 

 

Aprendi que as nossas diferenças não são perdoadas pelos outros, mas também aprendi que o que importa mesmo é nos aceitarmos como somos e usarmos nossas diferenças com orgulho. Não tenha medo de ser você.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

FIQUE POR DENTRO

POPULAR POSTS

Please reload

TAGS

Please reload